As Nuances das Expectativas e Frustrações.

Imagem

A tendência para criar expectativas dentro do nosso percurso de vida é forte, principalmente porque o ser humano como é na sua genese, foi educado para ter objectivos, para fazer o seu caminho até atingi-los. E como tal cria expectativas sobre os seus objectivos, que na realidade são os seus sonhos. Não há mal algum em sonhar, pois são os sonhos que fazem com que a alma seja viva, e que se sinta numa intensa procura de aquele “algo” que nos faz sentir maiores do que a própria vida em si. Sonhar é de facto, maravilhoso, mas criar expectativas, exercer uma forte pressão nelas, criar cenários pouco provaveís, só irá de facto fazer com se sinta asfixiado com tudo o que desenvolveu dentro de si, em relação a expectativa gerada sobre determinado algo. Abandonar toda e qualquer expectativa, não é deixar matar um sonho. É saber começar a viver sem essa pressão adicional que não é positiva para o nosso ser. Todas as agonias, sofrimento e dor que poderiam advir da criação de expectativas morrem logo sem qualquer contemplação, pelo simples facto de abdicarmos de criar essas mesmas expectativas. O erro e o falhanço são os gemeos maus que pairam sobre a expectativa. Abdicar da mesma é clarear o nosso caminho, estar com os pés bem assentes na terra e fazer com que um sonho ou situação que muitos desejavamos ou por um lado, se concretiza para nossa satisfação e gratidão, ou pura e simplesmente se desvanece e não acontece, mas quando tal acontece, soubemos abdicar da expectativa para nos prepararmo-nos para um resultado que eventualmente não seria o desejado. Mas se é importante sabermos suprimir as expectativas em nós, verdade é que preencher as expectativas de outros ou vice-versa, não será igualmente um caminho seguro. Ninguém deverá sofrer por expectativas criadas por ambos os lados, ou por alguém em especial. Só seremos verdadeiramente sinceros e honestos com a nossa pessoa e estaremos em harmonia e equilíbrio. O sofrimento individual deve ser por nossa causa e não por outros. Se outros sofrem, esse sofrimento deverá ser por eles mesmos. Por isso a expectativa que se cria, a ansiedade que se desenvolve em função disso, não deverá acontecer. Porque as coisas boas acontecem, e somos gratos com elas, e senão acontecerem, estaremos gratos pelo que temos e sabemos que mais tarde ou mais cedo, se continuarmos o nosso caminho de luz, crença e boa vontade, que as coisas boas irão surgir como consequência natural das nossas acções, atitudes e energia positiva. Viva bem sem expectativa. Viva em paz sem ansiedade. Porque todos temos dentro de nós, o potencial para sermos tudo aquilo que mais queremos nesta vida, nesta passagem existencial que temos por este mundo.

 

 

 

Anúncios

As Aprendizagens que a Vida dá.

Imagem

A Vida deu-me tantas aprendizagens.

Aprendi a saber valorizar aqueles que realmente são sinceros de coração.

Aprendinão guardar rancor daqueles que querem mal, pois mais tarde ou mais cedo irão ter o retorno das suas acções indevidas.

Sorrir para todas as pessoas, porque só assim conseguimos espalhar alegria e mostrar que há mesmo pessoas com outra visão de vida.

Aprendi que mesmo à distância, há pessoas que podemos amar e que mesmo sem ver, essas pessoas continuam no nosso coração.

Aprendi a ver as coisas pelo lado positivo, mesmo que esse positivo não seja pouco, porque acredito fielmente que quando as coisas tem de correr bem, irá correr bem.

Aprendi que mesmo sendo complicado, tenho de saber de calar-me para saber ouvir melhor, que aprender com os erros me torna mais experiente, porque os erros não nos tornam menos bons, mas sim mais preparados.

Aprendi que mesmo sendo só um para lutar contra as injustiças, mais vale ser um do que consentir.

Aprendi que as vezes tenho de deixar de parte o meu bem-estar para ajudar, apoiar e acarinhar quem gosta de mim de verdade.

Aprendi que só amando por bem, irei ser amado por bem, que saber perdoar é uma maneira de um dia também ser perdoado, pois ninguém é perfeito.

Aprendi que temos de lutar e trabalhar para conseguirmos os nossos objectivos pois todos temos o potencial de conseguir tudo, mesmo que seja por meios diferentes e velocidades desiguais.

Aprendi que não tenho de invejar os outros, mas sim ser completamente grato por tudo o que tenho e irei ter.

Aprendi que as vezes temos de arriscar para sermos felizes, mas mesmo que não consigamos logo, que continuemos a acreditar, porque a vida tem um brinde de felicidade algures pelo caminho.

Aprendi que quem magoa e insulta, já carrega dentro de si um misto de amargura, insatisfação e infelicidade, que só por isso não devo responder com agressividade, mas sim com o melhor de tudo o que posso ser.

Aprendi que senão valorizar um amor, que esse amor pode ser perdido.

Aprendi que sonhar é bom, lindo e único, mas que nunca deverei desligar-me da realidade.

Aprendi que não é vergonha nenhuma chorar, porque as lágrimas não são fraqueza, mas sim emoção pura.

Aprendi que não devo ter receio do futuro, mas que é no presente, no “agora”, que o meu futuro irá ser delineado.

Aprendi que não devo desperdiçar amizades, mas que só aquelas fortes de verdade sobrevivem com o tempo.

Aprendi que não devo dizer Adeus, mas sim “Até Já”, para a dor não ser grande e a saudade não afundar.

Aprendi que ao ver o pôr-do-sol, ou um céu estrelado, que vejo exemplos das mais lindas prendas que o universo entrega ao nosso olhar.

Aprendi tudo isto, e ainda vou aprender mais, porque o caminho da sabedoria nunca estará terminado, nunca estará completo, porque todos os dias temos sempre uma nova surpresa do mundo.

Aprendi que se amar a vida com toda a energia, sem dúvida que a vida irá amar-me da mesma forma com o dobro da intensidade.

E como aprendi a ser grato, agradeço por gastar os minutos preciosos a ler algo que foi escrito do coração !